segunda-feira, 5 de maio de 2008

Cangulo revoltado I: O dia em que o Cangulo parou!

O DIA EM QUE O CANGULO PAROU!







Descaso das autoridades, abandono, revolta, indignação, descontentamento, lama, crateras nas ruas, esgoto a céu aberto, ausência de água potável... Essa é a situação em que se encontra um bairro ao lado de umas das maiores riquezas de nosso país: a Reduc.


O dia 05 de maio de 2008 ficará marcados nas mentes de corações de todos os cangulenses, será lembrado como o dia em que o Cangulo acordou do sono profundo da conformidade, da posição passiva frente a indiferença dos governos, não só do atual, mas de todos os outros.


O dia em que os homens, mulheres, estudantes, donas-de-casa, aposentados estiveram unidos com o mesmo ideal: Manifestar a revolta frente ao quadro de total abandono e descaso.


O dia em que decidimos mostrar que não somos porcos para viver na lama, mas trabalhadores que contribuem para o desenvolvimento dessa cidade, do nosso estado e do nosso país.


Mostramos nossa indignação, muitos lamentaram a ausência de TV, rádio ou jornal, mas o mais importante é que para nós moradores do Cangulo foi um desabafo para nossa própria inércia e contra nosso conformismo.


Foi mais importante para nós mesmos, do que para qualquer meio de comunicação. Mais importante para nossa consciência.


Importante para acreditarmos em nós mesmos, e que ainda estamos vivos!


“Tenha fé, seja lá como for, tenha fé porque até no lixão nasce flor”
Mano Brown


Um comentário:

oculto disse...

Parabens pela a reportagem sobre o bairro em que nasci.
É sempre bom saber que o povo não esta dormindo.
Nasci neste bairro e sai aos 9 meses de idade. Hoje moro em Belo Horizonte.
Más sempre procuro reportagem sobre meu passado
samuel ribeiro
BH-MG